]]>
E-mail
Senha
Manter conectado
CEO da VitaminaWeb, empresa especializada em produção digital.
Planejamento:
Saiba como evitar perda de tempo e não estourar o orçamento na produção digital - 10/06/2015
Compartilhe no Facebook!Compartilhe no Facebook!

A criação de um produto digital que traga bons resultados - seja um website, hotsite, aplicativo ou peça para rede social - envolve muito mais do que apenas a criatividade. Esta é apenas a etapa intermediária de um processo que começa com um bom planejamento.

A atual prática do mercado encara o planejamento como um ponto de partida do desenvolvimento, com o preço embutido no projeto e muitas vezes sem a devida atenção e dedicação. Entretanto, é esse o momento de estudar com mais afinco as necessidades do cliente para criar o escopo mais detalhado e gerar entendimento real do projeto. São perguntas como "qual o objetivo, o público-alvo, a linguagem utilizada ou os serviços oferecidos", por exemplo, que vão nortear todo processo de criação.

A prática do mercado encara o planejamento como um ponto de partida do desenvolvimento, com o preço embutido no projeto

Definitivamente, planejamento não é um trabalho fácil e não deve ser encarado como cortesia por empresas de produção digital. Somente esta fase pode durar entre 30 e 120 dias, dependendo da complexidade do projeto.

Se esta etapa for bem realizada, evita diversos desgastes com o cliente, já que é possível fazer a mensuração do custo real do projeto. Com um bom planejamento não há estouro no orçamento, que ocorre ao identificar novas necessidades durante o desenvolvimento que demandam a inclusão de outras funcionalidades no meio do caminho.Também não perdemos meses de trabalho com um produto recusado por estar diferente do esperado.

Design Thinking
Empresas ou marcas têm um objetivo em comum: trazer resultados. Mas as necessidades são variáveis: como induzir o cliente a entrar em contato, aumentar a base de dados com preenchimento de cadastro, fazer ações de branding ou aumentar o ranqueamento em site de buscas através de técnicas de SEO (otimização de busca).

Por exemplo, se um e-commerce tem a meta de vender de forma recorrente, precisa de uma navegabilidade em prol da conversão, informações detalhadas de cada produto, imagens em alta definição e descritivas. As etapas de compras também devem ser simplificadas para evitar desistências.

Tudo isso pode ser estudado com base nas diretrizes estabelecidas. Para isso, o conceito mais utilizado atualmente é o Design Thinking, baseado em inovação e centrada no usuário. Essa metodologia é como uma árvore, que abrange a Arquitetura da Informação (AI) e Experiência do Usuário (UX).

É dessa forma que identificamos se o público tem ou não familiaridade com a plataforma. Assim dá para dizer qual experiência o layout vai proporcionar, em que pontos a plataforma gera frustração ou deve ser aprimorada. Não adianta apresentar diversas funcionalidades se não há interação.

Pesquisar é preciso
Na hora de construir a arquitetura da informação, é importante realizar pesquisas com usuários, funcionários da empresa, fornecedores, parceiros e até concorrentes para entender o mercado. Para uma loja virtual, muitos clientes gostariam de uma área no site para acompanhar o status do pedido, e isso só é possível perceber com base nas pesquisas.

O ideal, de acordo com os profissionais, é realizar o planejamento em fases, para criar uma hierarquia de informação e cronograma para cumprir prazos e orçamentos. Só então com o escopo completo e aprovado é possível dar asas à imaginação e iniciar o processo de criação.

Confira cinco passos para um bom planejamento:
1- Identifique as necessidades do cliente: o que ele faz, onde ele quer chegar e em quanto tempo;

2- Estabeleça um planejamento em fases e um cronograma, criando uma hierarquia de informações e metas, com prevenção de ajustes ao final de cada etapa;

3- Entenda o mercado da empresa ou marca, realizando pesquisas com usuários, colaboradores, parceiros e até concorrentes;

4- Estude os recursos que mais funcionam ou não com o público da empresa e defina a melhor plataforma para alcançar os resultados;

5- Aloque um especialista na empresa do cliente, se necessário. Imersão é fundamental.

Compartilhe no Facebook!Compartilhe no Facebook!

Comentário(s)