]]>
E-mail
Senha
Manter conectado
Fundador da deviceLab, unidade de negócios pioneira na avaliação de aplicações digitais em diferentes devices e ambientes online. Foi um dos responsáveis pela criação do Internet Banking do Banco Santander e do Portal Corporativo da Petrobras, atualmente, esta conduzindo o projeto de avaliação do portal Webmotors. Foi professor da pós graduação em mídias digitais do SENAC. Pós graduado em Marketing pela FGV, foi palestrante do WUD - World Usability Day, e tem larga experiência em empreendedorismo.
Falhas no App
Acesso o App, mas não consigo finalizar a transação! - 16/12/2014
Compartilhe no Facebook!Compartilhe no Facebook!

Quantas vezes você já passou por essa situação? O artigo aborda estratégias para identificar e corrigir rapidamente falhas em aplicativos móveis e ainda reduzir custos.

A quantidade de falhas que aplicativos móveis apresentam no Brasil é acima da média mundial. Por aqui, é comum perceber pessoas insatisfeitas ao usar aplicativos para acessar contas bancárias, solicitar táxis ou tentar comprar produtos pelo seu smartphone ou tablet.

"A quantidade de falhas que aplicativos móveis apresentam no Brasil é acima da média mundial"


Os problemas são variados: desde conexão lenta, passando por fechamento inesperado do app, além de telas que não exibem as funções que deveriam. Não é raro acontecer as três situações com o mesmo aplicativo.

Existem diversos fatores que contribuem para que isto ocorra, entre eles a impossibilidade de realização de uma grande quantidade de testes em um número significativo de aparelhos, de forma rápida e eficaz.

Diante disso, executivos e gestores de projeto não tem segurança em afirmar que seu aplicativo funciona na maioria dos aparelhos utilizados pelo seu publico alvo e com isso não conhecem o tamanho do prejuízo que as falhas podem gerar ao seu negócio diariamente.

Este cenário tende a piorar com a diversidade de novos aparelhos que são colocados no mercado atualmente.

Até novembro de 2014 foram homologados pela ANATEL aproximadamente 162 novos modelos de dispositivos móveis, entre tablets e smartphones. Somado a isto, existem as novas versões de sistemas operacionais que também precisam ser consideradas.

O desafio é enorme para empresas que enxergam nos acessos móveis uma oportunidade para se relacionar ou vender por este canal, pois trata-se de um ambiente com ausência de informação precisa sobre a compatibilidade entre apps, aparelhos e sistemas operacionais e com evolução tecnológica diária.

Este contexto exige um importante investimento para manter uma boa equipe de QA (quality assurance) e aparelhos atualizados para testes. Ainda assim, a capacidade de realização de teste por pessoa é limitada e sujeita a erros humanos.

Acredito que o ideal seja pensar na automação de testes em dispositivos móveis em curtíssimo prazo, no entanto alguns aspectos precisam ser observados:

    - Devem ser utilizados aparelhos reais para os testes;

    - O software deve permitir que a criação de scripts de testes seja tão simples que permita
    qualquer pessoa criá-los;

    - Os relatórios de falhas devem estar em Cloud e acessíveis em tempo real;

    - Possibilidade de realização de teste com o mesmo script para diferentes aparelhos;

    - Possibilidade de agendamento de testes e reutilização de scripts;


Com um planejamento adequado, a automação pode trazer uma redução de custo por teste de 98%, como demonstrado no exemplo abaixo:

Resultado: redução de custo por teste: 98%


Para automatizar testes mobile em aparelhos reais e obter a redução de custos esperada é necessário planejar e estabelecer KPIs adequados, além de utilizar um ótimo software para automação.

Um dos grandes benefícios dos testes automáticos é a rapidez com que gestores e equipe do projeto conhecem as falhas do app ou site em diferentes aparelhos. Grande parte desses problemas podem ser resolvidos com soluções de usabilidade e desenvolvimento mobile. Para isso, é necessário que profissionais de UX trabalhem em parceria com a área de tecnologia.

A criação de um processo de identificação e solução de falhas com a presença de uma equipe multidisciplinar com diferentes habilidades é um importante passo para entregar uma experiência satisfatória em smartphones e tablets.

Tão importante quanto conhecer os problemas rapidamente, é criar um ambiente que possibilite o início e a conclusão do processo de correção o mais rápido possível. Trata-se de um ciclo virtuoso de detecção, correção, reavaliação e lançamento, que passa a ser infinitamente mais rápido quando a identificação de falhas é automatizada.

Na hora de pensar em redução de custos no ambiente mobile, lembre-se de considerar um excelente software para automação, definir KPIs, criar processo de correção com apoio de uma equipe com diferentes perfis.

Leandro Ginane é Diretor de Marketing da ABRADi-RJ (associação brasileira das agências digitais) e fundador da deviceLab, empresa que criou o primeiro software brasileiro para automação de testes em dispostivos móveis reais, o blink. Saiba mais em: www.devicelab.com.br

Compartilhe no Facebook!Compartilhe no Facebook!
30/08/2013 Miopia móvel

Comentário(s)