]]>
E-mail
Senha
Manter conectado
É profissional de internet desde 1996 e passou pelas maiores agências e empresas do país: Wunderman, AlmapBBDO, AgênciaClick, Banco Real ABN AMRO, Microsoft Brasil. É criador da \"Usina.com\", portal focado no mundo online, e do \"Radinho de pilha\" (www.radinhodepilha.com), comunidade de profissionais da área. E-mail: renedepaula@gmail.com
E sim, eu não sou músico
E sim, eu não sou músico - 23/07/2015
Compartilhe no Facebook!Compartilhe no Facebook!

Alguém no twitter disse: "o @renedepaula escreve como o Lobão. E, coitado, nem é músico. Tsk"

Morro de inveja de músicos, morro mesmo. Tenho mais inveja ainda de letristas geniais, daqueles que marcam uma geração inteira com um versinho ou dois. Eu aproveito este momento para dar crédito ao Caetano, ao Chico, ao Leminski, ao Itamar... eles são os faróis da minha educação sentimental.


Quisera eu que meu legado fossem breves estrofes ressoando para sempre no peito de um povo. Se um gênio da lâmpada me concedesse desejos eu não iria pedir fortuna nem poder nem títulos nem prêmios, eu pediria pelo privilégio singelo de tocar o coração alheio. Amor eu já tenho, saúde também.

Eu produzo muito, eu crio sem parar e eu me exponho mais do que o juízo aconselha, sem salto alto nem pose. Criativo, para mim, não é um adjetivo, um rótulo nem um cargo numa agência, criativo para mim só interessa como ação, como processo, como verbo transitivo e bastante direto que eu conjugo como respiro. Se parar, eu sufoco.

Eu sempre tive uma dificuldade danada com estereótipos e rótulos ou essas caixinhas apertadas em que todo mundo, mesmo os "criativos" insistem em colocar pessoas. Minha grande decepção ao entrar na ECA foi perceber que aquele povo que eu imaginava tão original e libertário era tão preso a estereótipos e tribos quanto a Poli que eu acabara de abandonar.

O que talvez mova essa minha usina produtiva é uma questão antiga e que ainda persiste: do que eu sou capaz? O que eu consigo fazer? Como é o meu "como", meu modus operandi, meu estilo, minha pegada? Nada pode responder a isso a não ser fazer sem parar, e observar surpreso o que de novo nasce, e o que nasce de novo, e com o tempo ver nascer das mil sementes um jardim milagroso.

Eu gosto de pensar que nossa potência criativa é um jardineiro. O que nos torna mais fecundos? Quais são nossas primaveras e invernos? O que nos faz murchar? Como combater as ervas daninhas? Nosso talento precisa de sol ou de sombra? Por quanto tempo a nossa fonte vai continuar jorrando? E sigo lançando sementes e cuidando dos brotos.

É vivendo assim que eu cheguei, como escreveria Lobão, aos 50 anos a mil. E quem sabe eu deixe um dia no teu coração a semente de uma flor singela.

Compartilhe no Facebook!Compartilhe no Facebook!

Comentário(s)